Entre em contato com um de nossos especialistas!

Estabilização de taludes: confira 4 cuidados pós-obra

Os taludes são muito frequentes no encerramento de uma obra. Eles servem para trabalhar com desníveis de terreno e podem ser bem aproveitados em meio a uma modificação intensa do local, como a abertura de uma estrada ou adequação do terreno. Em qualquer que seja o caso, a preocupação com a estabilização de taludes é essencial.

Esse cuidado permite que as áreas fiquem protegidas de processos erosivos e que levam à movimentação imprevista, por exemplo. Com a atuação bem-feita, a finalização do projeto acontece sem maiores contratempos. Por isso, veja 4 dicas sobre estabilização de taludes e aprenda a colocá-las em prática.

1. Recorra às técnicas de contenção mecânica

Dependendo da inclinação, da altura e das características do solo, é recomendado adotar processos mecânicos e com produtos especiais para alcançar a estabilização de taludes.

O uso de rip-rap é um bom exemplo. Chamado de solo cimento ensacado, oferece uma cobertura superficial com a ajuda de elementos de cimento. Empilhados de acordo com a forma da área, auxilia a corrigir desníveis e até na recuperação do local. Então, vale a pena adotar esse processo na etapa pós-obra.

Também há outros sistemas para o equilíbrio das encostas, mas o processo em questão é bastante eficiente, com ótimo custo-benefício e ideal para áreas arenosas.

2. Use o paisagismo para a estabilização de taludes

Um modo prático, sustentável e efetivo para manter essas estruturas no lugar é por meio de um projeto paisagístico. Com a ajuda das espécies corretas, é possível garantir que a inclinação não sofra grandes alterações. Em geral, acontece pela força exercida por algumas raízes, além de ser um jeito de dar cobertura ao solo. Com isso, as intempéries, como chuvas e ventos, não desgastam a área.

Um dos projetos mais simples inclui a instalação de grama. Desde que ela seja do tipo adequado para as condições climáticas e de solo, é possível garantir uma proteção verde para o talude.

O plantio pode ser feito por rolo ou tapetes e, normalmente, faz com que a espécie fique fixa até que se enraíze. Com os cuidados de rega e poda, os bons resultados são obtidos.

3. Cuide muito bem da drenagem do solo

Outro ponto essencial para a estabilização de taludes tem a ver com a quantidade de água acumulada no solo. Quanto mais líquido ele tiver, mais instável se torna e maiores são os riscos de desabamento. Para evitar essa situação, o melhor é recorrer à drenagem.

Essa etapa evita o excesso de líquidos por meio de um sistema com canos e estruturas que favorecem o escoamento. Com um bom planejamento para aproveitar a inclinação, as chuvas não se tornarão um problema para a segurança.

4. Contrate uma empresa especializada

Durante a realização das obras, foi preciso contar com o apoio de profissionais técnicos no projeto, certo? Pois, com a estabilização de encostas, acontece a mesma coisa.

Ao encerrar as obras, é recomendado contratar uma empresa voltada para esse serviço. Se tiver a ajuda de especialistas, será possível encontrar as melhores soluções e aplicá-las de maneira totalmente capacitada.

Inclusive, o estabelecimento dará as indicações necessárias no período pós-obra de estabilização, como o monitoramento e a espera para consolidação de cada técnica.

estabilização de taludes é essencial para manter a segurança e até a proteção ambiental. Com os devidos cuidados pós-obras e apoio profissional, é possível ter sucesso na tarefa.

Para acompanhar outras dicas e recomendações, curta nossa página no Facebook e nos siga no Instagram!



  • Rio de Janeiro
  • São Gonçalo
  • Duque de Caxias
  • Nova Iguaçu
  • Niterói
  • Belford Roxo
  • São João de Meriti
  • Campos dos Goytacazes
  • Petrópolis
  • Volta Redonda
  • Magé
  • Itaboraí
  • Mesquita
  • Nova Friburgo
  • Barra Mansa
  • Macaé
  • Cabo Frio
  • Nilópolis
  • Teresópolis
  • Resende