Entre em contato com um de nossos especialistas!

Qual a diferença entre drenagem superficial e profunda

A drenagem é um procedimento exigido para muitas construções. Ela faz com que o solo não fique com mais água que o necessário, o que ajuda a garantir a estabilização das estruturas e a evitar ocasionais infiltrações. Nesse caso, há dois tipos principais: a drenagem superficial e a profunda.

Com propostas distintas em diversos pontos, são indicadas para casos variados. A escolha entre as duas soluções depende das características de cada projeto, então é preciso ficar atento.

Para não ter dúvidas, confira as diferenças entre drenagem profunda e superficial e entenda como cada uma funciona.

O que é a drenagem superficial?

Dependendo das características do solo ou da área, a drenagem superficial é a mais recomendada. Ela é aplicada para escoar as águas que ficam acumuladas na superfície e que, normalmente, aparecem por causa da precipitação.

O processo é feito com o uso de recursos que fazem com que a água siga um curso, até que seja eliminada da área de interesse. São utilizadas manilhas, desníveis de escoamento e até elementos pré-moldados.

A AMP Engenharia desenvolveu um método próprio de construção de canaletas e escadas hidráulicas in loco, de forma personalizada, de acordo com as necessidades de cada projeto.

Normalmente, há uma escavação básica na área, de modo a garantir a inclinação para que a água corra naturalmente, apenas com a ajuda da gravidade. Desse jeito, é possível chegar a resultados satisfatórios e a um solo mais seco.

E a drenagem profunda?

Porém, a água não se acumula somente na parte de cima. Ela também pode estar dentro do terreno, em níveis bem abaixo. Nesses casos, o melhor é contar com a drenagem profunda.

Ela é feita para escoar a água que aparece abaixo do nível freático e que tem a ver com as características da região. Áreas de mangue, por exemplo, geralmente encaram esse problema.

Por causa das qualidades, um projeto do tipo costuma ser mais complexo. Nesse caso, é preciso adotar recursos como materiais de absorção e drenagem, além de tubos, valas e outros elementos semelhantes.

O principal objetivo, portanto, é a correção de uma característica da região, de modo a evitar dificuldades maiores durante uma obra, por exemplo.

Qual deve ser escolhida?

Na escolha entre drenagem profunda ou superficial, é preciso entender quais são as necessidades do local, da construção a ser realizada e dos principais problemas encontrados.

Como visto, a drenagem profunda é obrigatória para corrigir desafios e condições de solo que possam atrapalhar a execução de certas atividades. Também é recomendada para a estabilização de taludes e para evitar a infiltração.

Já a drenagem superficial impede que a água se acumule e penetre, o que poderia levar à necessidade de um procedimento profundo, por exemplo. Também é mais prática e muito indicada para áreas instáveis, com grande precipitação e outros problemas.

Embora sejam bem diferentes, elas não são excludentes. É possível recorrer à drenagem profunda e superficial no mesmo projeto, de modo a garantir um solo ainda mais adequado para as exigências em cada caso. Para não ter dúvidas, o melhor é procurar o apoio de uma empresa especializada, que pode dar as recomendações necessárias para cada situação.

drenagem profunda e a superficial se diferenciam pelo local onde ocorre a intercepção e o redirecionamento de água. Embora sejam distintas, ambas ajudam a garantir um solo seco o bastante e seguro para o desenvolvimento de diversos projetos.

Para ter muitas outras informações sobre o cuidado com solos e obras, assine a nossa newsletter e receba as atualizações na sua caixa de entrada!



  • Rio de Janeiro
  • São Gonçalo
  • Duque de Caxias
  • Nova Iguaçu
  • Niterói
  • Belford Roxo
  • São João de Meriti
  • Campos dos Goytacazes
  • Petrópolis
  • Volta Redonda
  • Magé
  • Itaboraí
  • Mesquita
  • Nova Friburgo
  • Barra Mansa
  • Macaé
  • Cabo Frio
  • Nilópolis
  • Teresópolis
  • Resende