Entre em contato com um de nossos especialistas!

O que levar em consideração em um projeto de reflorestamento

O Brasil se comprometeu através de acordos internacionais a recuperar suas florestas, atingidas por desmatamento e degradação. Um projeto de reflorestamento pode ser conduzido tanto por entidades públicas quanto por empresas e entidades privadas em geral.

Esses esforços também procuram combater os efeitos drásticos das mudanças climáticas.

restauração ecológica traz benefícios à fauna, à flora, às comunidades da região e à própria economia. No entanto, para que o projeto cumpra com sua finalidade, deve ser observada uma série de cuidados preparatórios e técnicas de reflorestamento.

Confira, neste artigo, o que deve ser considerado em projetos de reflorestamento!

Conheça os benefícios do reflorestamento

O Brasil possui vastas áreas cobertas por florestas, porém também apresenta uma grande quantidade de áreas muito degradadas. As terras prejudicadas pelo desmatamento não conseguem desempenhar seu papel ecológico, tampouco gerar renda, pois oferecem baixa produtividade agropecuária.

Um projeto de reflorestamento bem executado oferece vários benefícios para a comunidade e para os produtores agrícolas. A restauração do solo, a proteção da biodiversidade, a melhora do clima e da qualidade das águas desenvolvem a chamada economia florestal. 

O produtor rural pode comercializar de maneira sustentável madeira de espécies nativas, além de frutos das árvores frutíferas. Tais mercadorias são valorizadas no mercado, pois são oriundas de zonas de restauração ecológica. 

Faça o zoneamento da área a ser recuperada 

O zoneamento é um dos primeiros passos que devem ser dados em um projeto de reflorestamento a partir da escala média. Durante essa etapa, deve ser identificada a situação do ambiente, como grau de degradação florestal, tipos de solo, tipos de flora, topografia e vegetação remanescente.

Para elaborar o zoneamento em áreas maiores, os profissionais podem fazer uso de imagens de satélites e de fotografias aéreas, além da checagem em campo. 

É essencial analisar onde existe uso incorreto do solo e onde a lei exige a conservação da mata nativa. Em seguida, verifica-se a potencialidade de autorregeneração das espécies.

Após o zoneamento, devem estar definidas as melhores técnicas de recuperação da região, assim como as áreas onde serão formados corredores florestais.

Escolha espécies nativas para o seu projeto de reflorestamento

Existem várias técnicas que devem ser empregadas para realizar o projeto de reflorestamento. Uma delas consiste na escolha das espécies, como os tipos de flora. Devem ser escolhidas as espécies nativas já presentes ou que já estiveram presentes na mesma microbacia. 

Essas espécies devem ser plantadas de maneira diversificada, de modo a favorecer a diversidade florestal. Além disso, os tipos de flora devem ser atrativos à fauna local e deve-se levar em conta a tolerância das espécies escolhidas à umidade do solo. Nos casos de solos muito degradados, devem ser plantadas espécies leguminosas no reflorestamento. 

Esses são alguns dos fatores básicos que devem ser considerados em um projeto de reflorestamento bem executado. A restauração ecológica envolve uma série de outros cuidados também, como a limpeza da área, o combate às formigas cortadeiras e a manutenção do trabalho. É essencial escolher tipos de flora nativos para um reflorestamento duradouro.

Se você gostou desse artigo sobre reflorestamento, vai adorar nossos conteúdos sobre paisagismo, restauração ecológica e engenharia ambiental. Siga a gente no Facebook e no Instagram para ler mais publicações sobre o assunto!



  • Rio de Janeiro
  • São Gonçalo
  • Duque de Caxias
  • Nova Iguaçu
  • Niterói
  • Belford Roxo
  • São João de Meriti
  • Campos dos Goytacazes
  • Petrópolis
  • Volta Redonda
  • Magé
  • Itaboraí
  • Mesquita
  • Nova Friburgo
  • Barra Mansa
  • Macaé
  • Cabo Frio
  • Nilópolis
  • Teresópolis
  • Resende